SÍNDROME DO PÂNICO

A sindrome do panico acomete, principalmente, mulheres ( na proporcao de 2:1 em relação aos homens) no final da adolescência e início da juventude, mas pode ocorrer em qualquer idade.

by Psicologa Nelly Silva - Psicologia e Bem Estar


A partir da primeira crise sindrome do panico é comum o medo e a ansiedade antecipatória de ter outra parecida. A pessoa passa a ter medo de sentir medo e começa a restringir alguns locais ou situações que possam colocá-lo novamente em pânico, é o que chamamos de fobia. Além desta ansiedade e de várias fobias, o portador também se preocupa em evitar lugares cheios demais, ou muito fechados que não dá para fugir se precisar de ajuda imediata, agorafobia.

Muitas vezes o portador de pânico pode ser visto como uma pessoa medrosa, fraca e às vezes as pessoas não têm muita paciência, principalmente se já foram feitos vários exames e nada foi detectado.

SINTOMAS DA SÍNDROME DO PÂNICO

A pessoa está numa situação de tranqüilidade. Em casa, vendo TV, lendo ou conversando com amigos.De repente “aquilo” VEM! Uma sensação horrível de terror, vindo aparentemente do nada, toma conta dela. O coração dispara, há sensação de sufocação, tontura, tremores, as pernas ficam bambas e ele acha que vai morrer, ter um ataque cardíaco, ficar louca ou perder o controle. Essa sensação terrível, das mais angustiantes narradas pelo ser humano, dura cerca dez minutos entre o inicio e o final. É o chamado ataque de pânico. Se esta pessoa apresentar um único ataque seguido de medo de ter outro ou se os ataques se repetirem ela desenvolve o Transtorno de Pânico.

Os principais sintomas da sindrome do panico são: taquicardia, sudorese, falta de ar, tremor, fraqueza nas pernas, ondas de calor e frio, tontura, sensação que vai desmaiar, ter um enfarto, derrame, pressão na cabeça, sensação que o ambiente é estranho (perigoso), perigo de morte, medo de sair de casa, medo de fazer as coisas mais simples como viajar, dirigir, ir a lugares com muita gente, cinema, feiras e etc.

CAUSAS DA SÍNDROME DO PÂNICO

O estresse é um dos principais causadores da sindrome do panico, sendo responsavel por 80% dos crises de panico. As drogas representam outro enorme fator de risco. Desde os “energéticos”, na realidade estimulantes do sistema nervoso, até, evidentemente, as drogas ilícitas.

- Abuso de medicamentos, doenças físicas, drogas ou álcool.
- Reação a um stress ou situação difícil.
- Predisposição genética

TRATAMENTO DA SÍNDROME DO PÂNICO

Sem tratamento adequado, a sindrome do panico é altamente incapacitante. No tratamento da sindrome do panico, são utilizados medicamentos para a crise de pânico, habitualmente antidepressivos, acompanhado de Psicoterapia Comportamental e Cognitiva. Para as seqüelas da sindrome do panico, nos medos decorrentes, a medicação não atua. O tratamento de escolha da sindrome do panico é a psicoterapia comportamental e cognitiva. O mesmo se aplica ao trabalho necessário para reconduzir o paciente à sua vida normal.


Quais são as chances de recuperação no tratamento da sindrome do panico ?

Apesar da gravidade dos sintomas, a sindrome do panico mostra bom prognóstico ao tratamento: cerca de 70 a 90% de recuperação. Mas o INMH (Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA) adverte que apenas um terço das pessoas que tem sindrome do panico recebem tratamento adequado.

Desse modo, percebe-se a necessidade de se procurar auxilio de um psicologo quando o individuo se ve acometido pela sindrome do panico. A psicoterapia ajuda a trabalhar a ansiedade, as fobias e mudar a atitude perante a doença. O entrosamento e a vontade de se curar do paciente é fundamental para o tratamento da sindrome do panico. Pode ser necessário também iniciar um tratamento psiquiátrico, com antidepressivos e ou ansiolíticos, para acabar com os efeitos físicos, provocados pelo desequilíbrio bioquímico.

A psicologa Nelly silva é especializada no tratamento da Sindrome do Panico.Agende sua consulta de avaliação no tel 021-2284-1721


5 comentários:

byClaudioCHS disse...

Medo...
Vontade de dar um grito,
ou calar-se para sempre
De ficar parado, ou correr
De não ter existido
ou deixar de existir (morrer)
Não há razão quando a mente não funciona
(redundante, não?)
Vão extinguindo-se as questões
mesmo sem respostas
Perde-se, neste estágio,
a vontade de saber.
O futuro é como o presente:
É coisa nenhuma, é lugar nenhum.
Morreu a curiosidade
Morreu o sabor
Morreu o paladar
parece que a vida está vencida
Tenho medo de não ter mais medo.
Queria encontrar minhas convicções...
Deus está em um lugar firme, inabalável,
não pode ser tocado pela nossa falta de confiança
Até porque, na verdade, confio nele
O problema é que já não confio em mim mesmo
Não existe equilíbrio para mentes sem governo
A química disfarça, retarda a degradação
mas não cura a mente completamente
E não existem, em Deus, obrigações:
já nos deu a vida, o que não é pouco,
a chuva, o ar, os dias e noites
Curar está nele, mas, apenas retardaria a morte
já que seremos vencidos pelo tempo
(este é o destino dos homens)
e seremos ceifados num dia que não sabemos
num instante que mira nossa vida
e corre rápido ao nosso encontro lentamente
(ou rasteja lento ao nosso encontro rapidamente?)
Sei lá...
Mas não sei se quero estar aqui
para assistir o meu fim
Queria estar enclausurado, escondido...
As amizades que restam vão se extinguindo
e os que insistem na proximidade
são os mesmos que insistirão na distância,
o máximo de distância possível.
A vida continua o seu ciclo
É necessário bom senso
não caia uma árvore velha, podre, sobre as que ainda estão nascendo.
Os que querem morrer deixem em paz os que vão vivendo
Os que querem viver deixem em paz os que vão morrendo
Eu disse bom senso?
Ora, em estado de pânico não se encontra bom senso
nem princípios, nem razão, nem discernimento,
nem força alguma
Torna-se um alvo fácil
condenável pelos que estão em são juízo
E questionam: onde está sua fé?
e respondo: ela estava aqui agora mesmo...
ela não se extingui, mas parece que as vezes se esconde de mim...
o problema é que, quando a mente está sem governo
(falo de um homem enfermo)
é como um caminhão que perde o freio
descendo a serra do mar...
perde-se o contato com a fé e com tudo o que há...
e por alguns instantes (angustiantes)
não encontramos apoio, nem arrimo, nem chão, nem parede, nem mão...
ah... quem dera, quem dera...
que a mão de Deus me sustente neste instante...
em que viver é tão ou mais difícil que conjulgar todos os verbos...
porque sou, neste momento
a pessoa menos confiável para cuidar de mim mesmo...
tenho medo, medo...
medo de perder o medo
de sair da vida pela porta de saída...
medo de perder o medo
de apertar o botão "Desliga"...

http://progcomdoisneuronios.blogspot.com

.

giseleh disse...

nosssa sofro muito com essa maldita reaçao já tentei me curar disso mas nao fui nem especialista eu tento lutar contra min mesmo mas tem horas que nao consigo,minhas crises acontece sempre de noite ou na madrugada quando estou dormindo,do nada acordo com coraçao acelerado,naoa guento mais,ess doença nojenta mas eu creio em Deus que ele vai me ajudar...

ALICE CAMARA disse...

amiga giselhe, vi agora seu comentario no meu blog esposa mulher virtuosa, é realmente sei o que vc fala, minhas crises as piores acontecia de madrugada, eu acordava ja em panico, tonta, vomitando, coração acelerado e achando que ia morrer, td isso acontecia de uma hora p outra, e chegou ao ponto de dar em qualquer hora do dia, constantemente, me tornei presa, as fobias me pegaram, e td ia piorando, e a gente vai pirando aos poucos, e foi que depis de quase 4 anos tendo crises constantes, e indo direto para emergencias , resolvi ir atras de ajuda, e procurei uma psiquiatra, e de cara acertei, e ela me encaminhou para uma terapia cognitiva comportamental, passei 6 anos em terapia, da terapia cognitiva depois fui para terapia normal, mas ainda continuo na medicação,e passo uns 6 meses sem, depois entro na medicaação de novo, e assim vou me mantendo longe das crises e fobias. por isso amiga, te digo corra atras de uma ajuda de um médico, de terapia cognitiva comportamental, vc vai ver como a gente vai melhorando, superandos os medos,a ansiedade, aprendemos a controlar elas. a minha vida voltou a ser normal, como era antes, depois que fui a psiquiatra e a terapia e com medicação. hoje eu sinto as vezes um ínicio da crise, mas é algo bem sutil que dá pra controlar na hora com remedio. não desejo o que senti pra ninguém, por isso amiga sei o que vc sente e de coração te digo isso só vai passar com tratamento, supere seu medo e vá ao médico, e só assim vc vai mudar a sua vida, como mudei a minha. bjsbjsbjs, mantem contato tá.

ALICE CAMARA disse...

e por alguns instantes (angustiantes)
não encontramos apoio, nem arrimo, nem chão, nem parede, nem mão...
ah... quem dera, quem dera...
que a mão de Deus me sustente neste instante...
em que viver é tão ou mais difícil que conjulgar todos os verbos...
porque sou, neste momento
a pessoa menos confiável para cuidar de mim mesmo...
tenho medo, medo...
medo de perder o medo
de sair da vida pela porta de saída...
medo de perder o medo
de apertar o botão "Desliga"...

AMIGO, O QUE VC ESCREVEU É REALMENTE VERDADE, A GENTE SENTE ISSO MESMO, É O QUE É O PANICO, A CRISE EM SEI MAIOR MOMENTO, QUANDO ESTAMOS NO ESPIRAL, NO AUGE DA CRISE.
MUITO OBRIGADO POR PARTILHAR ISSO AQUI, FOI DE GRANDE VALOR.
FICA COM DEUS!

Anônimo disse...

Estou procurando amizades. Tenho a sdr do panico moro em bh mg . Tenho 54 anos, estou me separando da minha mulher. dddmc@bol.com.br

Aqui no ESPOSA MULHER VIRTUOSA você vai encontrar coisas que podem te alegrar o coração e ajudar em seu casamento, esse blog é uma forma que encontrei de escrever sobre casamento, coisa que eu amo escrever. Espero que gostem dos textos, e desejo a todos vocês que entrarem no blog que tenham um relacionamento feliz e com os pés no chão. Com carinho, Alice Camara